Salsa além da culinária: um alimento funcional e planta medicinal

A salsa é uma erva culinária e medicinal popular reconhecida como um dos alimentos funcionais por seus antioxidantes únicos e propriedades preventivas de doenças.

Esta pequena erva frondosa é nativa da região do Mediterrâneo.

A erva é uma pequena planta com folhas de verde escuro que se parecem com folhas de coentro , especialmente na folha.

No entanto, suas folhas são maiores por tamanho e sabor mais ameno do que a das folhas do coentro.

A erva é amplamente empregada na cozinha brasileira, mediterrânea e europeia.

Benefícios da salsa para a saúde

A salsa é uma das ervas de baixa caloria: 100 g de folhas frescas tem apenas 36 KCal.

Além disso, suas folhas mantêm zero colesterol e gordura, mas são ricos em antioxidantes, vitaminas, minerais e fibras alimentares.

No geral, a erva ajuda no controle do colesterol no sangue e pode oferecer proteção contra feridos e cânceres mediados por radicais livres.

Aplicações terapêuticas

 

A salsa contém saúde que beneficia os óleos voláteis essenciais que incluem myristicin, limoneno, eugenol e a-thujene.

 

O óleo essencial, Eugenol, presente nesta erva foi em aplicação terapêutica em odontologia como anestésico local e agente anti-séptico para dentes e doenças de gengiva.

Eugenol também foi encontrado para reduzir os níveis de açúcar no sangue em diabéticos; no entanto, estudos detalhados adicionais necessários para estabelecer seu papel.

Antioxidante

 

A salsa é rica em antioxidantes de flavonóides polifenólicos, incluindo apiina, apigenina, crisoeriol e luteolina; e foi avaliado como uma das fontes da planta com atividades antioxidantes de qualidade.

O valor ORAC total, que mede a força antioxidante de 100 g de salsa fresca e bruta, é de 1301 μmol TE (equivalentes de Trolox).

Fonte de minerais

 

A erva é uma boa fonte de minerais como potássio, cálcio, manganês, ferro e magnésio.

100 g de erva fresca fornece 554 mg ou 12% dos níveis diários de potássio requeridos.

O potássio é o principal componente dos fluidos celulares e corporais que ajuda a controlar a freqüência cardíaca e a pressão arterial, contrariando os efeitos pressantes do sódio.

O ferro é essencial para a produção de heme, que é um componente crítico que transporta oxigênio dentro dos glóbulos vermelhos.

O corpo humano usa manganês como cofator para a enzima antioxidante, superóxido dismutase.

 

Fonte de vitaminas

Além disso, a erva também é rica em muitas vitaminas antioxidantes, incluindo vitamina A , β-caroteno, vitamina C, vitamina E, zeaxantina, luteína e criptoxantina.

A erva é uma excelente fonte de vitamina K e folatos.

A zeaxantina ajuda a prevenir a degeneração macular relacionada à idade (ARMD) na retina (olho) na população idosa através de suas funções antioxidantes e de filtragem de luz ultravioleta.

 

As folhas de salsa frescas também são ricas em muitas vitaminas essenciais, como ácido pantotênico (vitamina B-5), riboflavina (vitamina B-2), niacina (vitamina B-3), piridoxina (vitamina B-6) e tiamina (vitamina B- 1).

Essas vitaminas desempenham um papel vital no metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, atuando como co-enzimas dentro do corpo humano.

 

É, talvez, a mais rica fonte de ervas de vitamina K; fornecem 1640 μg ou 1366% da ingestão diária recomendada.

Verificou-se que a vitamina K tem o papel potencial na saúde óssea promovendo a atividade osteoblástica nos ossos.

Também tem um papel estabelecido no tratamento de pacientes com doença de Alzheimer, limitando o dano neuronal em seu cérebro.

100g de salsa fornecem:

  • 38% de folatos,
  • 220% de vitamina C,
  • 281% de vitamina A,
  • 1366% de vitamina K,
  • 14% de cálcio,
  • 77,5% de ferro e
  • 5561 mcg de zeaxantina.
  • 5054 mcg de caroteno-beta
    *Nota: os valores estão em% de RDA por 100 g (RDA – Subsídio diário recomendado)

Usos medicinais

As folhas de salsa, seus talos e raízes  têm propriedades anti-sépticas e carminativas.

Eugenol também tem sido encontrado para reduzir os níveis de açúcar no sangue em diabéticos; no entanto, estudos detalhados adicionais necessários para estabelecer seu papel.

Verificou-se que uma extração da erva produz efeitos diuréticos.

Dicas de consumo

As salsas frescas e secas estão disponíveis nos mercados durante todo o ano.

Ao comprar, opte pelas folhas frescas de salsa, pois são superior em sabor e ricas em vitaminas e antioxidantes vitais.

A erva deve apresentar folhas verdes vibrantes e hastes firmes. Elas devem estar livres de mofo, manchas escuras ou amareladas.

Assim como com outras ervas secas, ao comprar salsa seca, tente comprar uma que tenha sido cultivada organicamente, pois isso lhe dará algum senso de segurança de que não foi irradiado e isento de resíduos de pesticidas.

A salsa fresca deve ser armazenada na geladeira embalada em uma bolsa de fecho envolvente em uma toalha de papel ligeiramente humedecida.

As folhas secas podem ficar bem por alguns meses, quando armazenadas em um recipiente de vidro bem fechado e colocadas em local frio, escuro e seco.

Exemplos de preparo

  • A erva é amplamente utilizada como uma guarnição. Muitos pratos servidos com salsa picada verde fresca polvilhada no topo.
  • Foi utilizado na preparação de muitos pratos populares no Mediterrâneo e Europeancuisine desde os tempos antigos.
  • Juntamente com outras ervas e especiarias, está sendo usado como agente aromatizante na preparação de pratos.
  • É um dos ingredientes comuns no famoso molho verde mediterrâneo, “salsa verde”, um molho frio feito de salsa, alcaparras, alho, cebola, anchovas, azeite e vinagre.
  • A salsa recém-cortada é uma excelente adição a uma salada verde.
  • As folhas de salsa frescas e secas podem ser usadas na preparação de chutney, mergulhos, pesto etc.

Atenção para alérgicos

A salsa não deve ser consumida em grandes quantidades ou como droga ou suplemento por mulheres grávidas.

O óleo essencial na sua raiz, folha ou semente pode levar a estimulação uterina, sangramento e parto prematuro.

 

Esta planta herbácea é muito alta em ácido oxálico, 1,70 mg por 100 g.

O consumo prolongado de alimentos ricos em oxalato pode resultar em artrite gotosa, pedras nos rins e deficiências de nutrientes minerais.

 

O óleo de salsinha contém furanocumarinas e psoralenos, o que pode levar a uma fotossensibilidade extrema se usado oralmente.

Fontes

  1. Refer Stanford School of Medicine Cancer information Page-Nutrition to Reduce Cancer Risk (em inglês).
  2. Pub med: Parsley (em inglês).
  3. USDA National Nutrient Database (em inglês).
Alecrim é uma erva multifacetada reconhecida por sua notável atuação na nossa saúde
Aneto é uma erva que você precisa conhecer e explorar seus sabores e benefícios
Coentro, além de um tempero que não pode faltar na cozinha, faz bem para a saúde
Cerefólio – parece salsa mas não é. Descubra essa erva deliciosa.