Pimenta malagueta, forte, popular e poderosa na culinária e na medicina

A pimenta malagueta, apesar de sua pungência, é uma especiaria muito popular, conhecida por suas propriedades medicinais.

Nativa da região da América Central, a especiaria é cultivada amplamente em muitas partes do mundo como um importante produto comercial.

A pungência da pimenta malagueta é medida em “unidades de calor Scoville” (SHU).

A título de comparação, na escala Scoville, um pimentão possui 0 SHU:

  • Uma pimenta caiena em torno de 2.500-4.000 unidades
  • Uma pimenta malagueta mexicana entre 200.000 a 500.000 unidades.

As pimentas têm um forte sabor picante devido à presença dos compostos alcalóides ativos capsaicina, capsantina e capsorubina.

Pimenta malagueta

Benefícios da pimenta malagueta para a saúde

A pimenta malagueta contém uma lista impressionante de compostos químicos derivados de plantas que são conhecidos por possuírem propriedades na promoção de saúde e prevenção de doenças.

As pimentas malaguetas possuem um composto alcaloide chamado capsaicina.

Esse composto é responsável pelo forte sabor picante.

  • Propriedades medicinais

Estudos experimentais com mamíferos sugerem que a capsaicina possui propriedades antibacterianas, anticancerígenas, analgésicas e antidiabéticas.

Também está associada à redução dos níveis de colesterol LDL em obesos.

  • Fonte de vitaminas

Pimentas malaguetas frescas, vermelhas e verdes, são uma rica fonte de vitamina C. 100 g de pimenta fresca fornecem cerca de 240% da ingestão diária recomendada.

A vitamina C é um potente antioxidante hidrossolúvel, sendo essencial para a síntese de colágeno.

O colágeno é uma das principais proteínas estruturais do organismo, necessária à manutenção da integridade dos vasos sanguíneos, pele, órgãos e ossos.

O consumo regular de alimentos ricos em vitamina C ajuda a proteger o organismo contra escorbuto.

Também ajuda a desenvolver resistência contra agentes infecciosos, reforçando a imunidade e a eliminar radicais livres pró-inflamatórios nocivos ao corpo humano.

A pimenta malagueta também é uma boa fonte de vitamina A e flavonoides, compostos antioxidantes tais como o β-caroteno, α-caroteno luteína, zeaxantina e criptoxantina.

Conjuntamente, estes antioxidantes presentes na pimenta malagueta ajudam a proteger o organismo dos efeitos adversos dos radicais livres originados em condições de estresse e em processos patológicos.

  • Fonte de minerais

A pimenta malagueta contém bons níveis de minerais, tais como o potássio, manganês, ferro e magnésio.

O potássio é um importante eletrólito presente nas células e nos fluidos corporais que auxilia no controle do ritmo cardíaco e na pressão sanguínea.

O organismo utiliza o manganês como um cofator da enzima superóxido dismutase, responsável pela correta metabolização dos radicais livres na mitocôndria.

A pimenta malagueta também é uma boa fonte de vitaminas do complexo B, como a niacina, a piridoxina (vitamina B6), a riboflavina e a tiamina (vitamina B1).

Estas vitaminas são essenciais, no sentido de que o organismo não as produz, necessitando obtê-las e repô-las a partir da dieta.

As pimentas malaguetas têm níveis incrivelmente altos de vitaminas e minerais.

Apenas 100 g fornecem (em % da dose diária recomendada):

  • 240% de vitamina C (Ácido ascórbico),
  • 39% de vitamina B6 (Piridoxina),
  • 32% de vitamina A,
  • 13% de ferro,
  • 14% de cobre,
  • 7% de potássio,
  • Não contém colesterol.

Seleção e armazenamento

As pimentas malaguetas podem ser encontradas durante todo o ano nos mercados, sejam verdes ou vermelhas, frescas, secas ou em pó.

Procure comprar vagens inteiras e frescas da pimenta, ao invés do pó, pois muitas vezes este pode estar adulterado, ao conter outras substâncias ou condimentos adicionados.

Selecione pimentas frescas de coloração brilhante, com caule saudável, íntegro e compacto.

Evite as vagens com manchas ou aquelas com as pontas estragadas ou com fungos.

Armazene sob refrigeração em um saco plástico, onde permanecerão frescas por até uma semana.

Pimentas malaguetas em pó também estão disponíveis nos mercados, devendo ser armazenadas à temperatura ambiente em local fresco e escuro, dentro de recipientes hermeticamente fechados, por até vários meses.

As pimentas malaguetas podem ser moídas usando um moinho ou processador sempre que utilizar.

Usos medicinais

A Capsaicina e os outros compostos do grupo dos capsaicinóides podem ser utilizados no preparo de pomadas e tinturas devido as suas propriedades adstringentes, calmantes e analgésicas.

Estas formulações têm sido utilizadas no tratamento de dores artríticas, neuralgia pós-herpética, inflamação muscular, dentre outras.

Estudos experimentais sugerem que a capsaicina possui propriedades antibacterianas, anticarcinogênicas, analgésicas, e antidiabéticas.

A capsaicina também estaria implicada na redução de peso em pessoas obesas e na redução dos níveis sanguíneos de glicose e de LDL colesterol.

Usos culinários

Ao preparar, lave as pimentas malaguetas em água limpa antes de cozinhar para remover quaisquer fungicidas residuais, areia ou sujeiras.

Manuseie-as cuidadosamente!

A pimenta malagueta, fresca ou em pó, pode causar forte sensação de queimação nas mãos e séria irritação na boca, nariz, olhos e garganta.

Portanto, para alguns indivíduos sensíveis pode ser aconselhável a utilização de luvas e máscaras faciais ao manuseá-las.

Exemplos de preparos:

  • Pimentas frescas e outras variedades de pimenta estão sendo usadas como vegetais na cozinha de muitos lugares do mundo.
  • Pimentas picadas são empregadas na preparação de molhos de pimenta, pizzas, pães e em uma variedade de pratos usando peixe, carne e frango em muitas regiões da América Central e Europa.
  • O pó da pimenta malagueta é um ingrediente essencial na produção de um condimento conhecido como Curry em muitos países asiáticos.
  • Pimentas malaguetas com sabor picante são usadas como condimento na preparação de sopas, molho de pimenta, óleo de pimenta, água de pimenta, mistura de vinagre e especiarias etc.

Segurança

As pimentas malaguetas contêm capsaicina, responsável pelo forte sabor picante.

A capsaicina causa irritação severa e sensação de queimação na boca, língua e garganta.

Inicialmente provoca inflamação local quando entra em contato com a mucosa da cavidade oral, garganta e estômago.

Ela pode causar uma grave sensação de queimação quando percebida pelas terminações nervosas livres na mucosa.

Consumir iogurte gelado ajuda a reduzir o incômodo provocado pela sensação de queimação, devido à diluição da concentração de capsaicina eao bloqueio do seu contato com as paredes da mucosa.

Evite tocar nos olhos com dedos contaminados com pimenta.

Lave bem os olhos com água fria para reduzir a irritação.

Pimentas podem agravar a condição de refluxo gastroesofágico (RGE) existente.

Certos compostos químicos como aflatoxina (fungo), encontrados em malaguetas já em estado de deterioração, podem causar câncer de estômago, fígado e cólon.

Fontes:

  1. USDA National Nutrient Database. (em inglês)
  2. Gernot-Katzer’s spice pages. (em inglês)
40 alimentos que curam – plantas medicinais | Forma Saudável
Chá vermelho, sabor que acalma, previne contra o cancer e muito mais
Raiz de Ginseng, sinônimo de força e bem-estar desde a Antiguidade
O chá da raiz de chicória traz mais benefícios à saúde do que o café
Chá de camomila, umas das mais fortes e tradicionais infusões medicinais
Descubra porque o chá de erva-cidreira é uma infusão poderosa

Nenhum Comentário

Deixe um comentário.